Friday, July 18, 2014

Fechada

E fechada a porta, espero agora que se abram muitas janelas, portadas, postigos e tudo o mais por onde possa passar. M de Mais ou Menos, de Mãe, de Madrinha, de Melhor, de Maria. Ironicamente vim parar à fracção J que quero acreditar que seja de Juventude. Irónico, mas a vida tem destas coisas. O blogue esse, também vai fechar, com a mesma idade de tudo aquilo que tenho para deixar para trás, precisamente sete anos.



E curiosamente - e uma vez mais, ironicamente - termino como comecei , há sete anos atrás..... parece que as palavras não perderam o sentido.


Quebrar...

Quero dizer-te que foi bom ter quebrado, na altura certa...tenho cá tudo guardado e foi positivo.

Agora que parti...

Foi tão bom ter-te perdido
Como ter-te encontrado.
Tudo o que tinha vivido,
Fica agora muito mais marcado

No meu viver, conhecer,
Na minha experiência de amar
Em todo o meu poder
Perdoar....

Na verdade, houve um dia
Que não fui tua, de ninguém.
Apenas pedia...
Que houvesse alguém

Que me ouvisse,
Que acreditasse
No que vivíamos!
Não notando eu

Que não mais eras meu.
Apenas existias ali,
Não para nós,
Para ti.

Um dia decidi partir,
Dizer ao mundo que amar
Não era mais o meu sentir,
Dizer que parar
Não era desistir...

Gosto

Gosto daquela batida baixa, seca, funda. Gosto daquele som igual e sequencial que vai diferindo aos poucos, como se a descobrir qualquer coisa. Gosto de pouca luz, de média luz e um copo de vinho tinto. Gosto de amarelo. Gosto do meu espaço e do silêncio que só se instala se eu deixar. Gosto desta sensação de escrever, do conforto que a escrita me traz. Gosto do calor na areia nos pés, quando os enterro nela. Gosto do sol a aquecer-me a pele. Gosto do arrepio que isso me causa. Gosto do cheiro da noite, o escuro e molhado.Gosto de me imaginar noutros sítios quando estou aborrecida. Gosto de pensar que posso fazer tudo e que apenas eu própria posso ser o meu limite. Gosto.