Sunday, May 04, 2014

Não há nada que os amigos não curem

Tem sido a máxima nos últimos cinco meses (já lá vão cinco meses). É por isso que não estou doente, porque temos amigos que me curam, tenho amigos que só precisam de existir, de estar, de aparecer. Temos a cumplicidade de quem troca palavras com o olhar e o à vontade de quem diz o sente e não apenas o que pensa. Temos amor de verdade. Este fim-de-semana foi assim, feliz. Os primeiros dias de sol dos últimos cinco meses (e já lá vão cinco meses....). Há coisas que nunca mudam e pessoas que nunca falham e é por isso que eu me levanto a cada queda, é por isso que não me falta a força e a vontade de continuar.
Vou guardar o som das ovelhas a ecoar, o barulho da água a bater na margem, o sol quente e brilhante, a melodia da viola, as estrelas no céu, as gargalhadas soltas, a paisagem, o Alentejo. Vou guardar Évora que, como dizia o Pintinhas, é melhor do que tudo e vale sempre a pena recordar.
Memória substituída. Ou pelo menos quase!



2 comments:

JP said...

Estás a ver? não substitui tudo, mas fica por cima ;)
Assim é fácil gostar de ti *****

Di said...

Se não és um querido!! O melhor fica sempre por cima! Não é fácil gostar de mim, nós é que vivemos uns dentro dos outros, e isso, digo-te eu, não é nada fácil! Beijo monstro :)