Wednesday, September 04, 2013

E afinal parece que não....

Ora vejam lá se não era mais que motivo para o deixar lá:



Pois claro, até porque ele não se foi embora o dia todo! E podia ter ido, mas não foi! Para começar era uma gata, super fofa e com uns olhos azuis ginórmicos e depois estava muito feliz. Quando a consciência chegou a casa naquela noite e nos encontrou às duas muito enroscadinhas no terraço, ela já com caixinha de areia e alcofa e eu de portátil e óculos postos, heis que exclama a frase "Então mas tu foste roubar o gato à vizinha?" Eu??? Eu não! Rou-quê? Ah, nem pensar! Mas nós temos vizinhos? Nunca dei por isso....
Enfim, os meus argumentos não foram suficientes e o MQT lá ligou para a vizinha a explicar que a gatinha tinha lá ido ter, já por muitas vezes e que se ela não a quisesse, nós podíamos ficar com ela, sem problemas. Mas a vizinha queria a gatinha porque já tinha tido uma preta que também tinha desaparecido misteriosamente e que o filho, quando a ia visitar, gostava de ver lá a gatinha. Se a outra tinha desaparecido, se calhar era um sinal! E se o filho gostava de ver a gatinha, podia lá ter ido vê-la a casa! Era tudo muito simples de resolver, não estava a compreender o problema. Mas pronto, a consciência naquele dia estava muito explicativa e lá levamos a gatinha de volta ao terraço da vizinha. Eu fiquei a pensar que não devia ter feito aquilo, primeiro porque não é simpático para com a vizinha e depois porque já me estava a apegar à gata. Fiquei a pensar que voltava, mas depois percebi, no dia a seguir, que a vizinha já não a deixou na rua e isso fez-me sentir aliviada, afinal a minha acção tresloucada, tinha servido para alguma coisa! E não foi só para isso, o MQT já percebeu que realmente, precisamos de um gato naquele terraço. A C. tinha razão, se tudo lá vai parar, porque não um gato???

2 comments:

Anonymous said...

"Esta é voz: o gato tem de ser devolvido à dona. É tudo por agora!"

Carmen said...

Precisas de um gato urgentemeeeenteeee nesse terraço!!!

Mas para a próxima que apanhares um gato....ao menos que não conheças a vizinha :p O argumento de "tudo vai parar ao terraço" vai resultar melhor nesse caso".Ahah