Thursday, April 26, 2012

Muito bom!




A crise tem destas coisas, coitadinhos só têm uma guitarra....


Tuesday, April 24, 2012

Rebentaram!

Discretamente, claro, como é próprio das Tulipas :)


Thursday, April 19, 2012


Gosto, do vídeo e da música.






Now and then I think of when we were together
Like when you said you felt so happy you could die
I told myself that you were right for me
But felt so lonely in your company
But that was love and it's an ache I still remember

You can get addicted to a certain kinda sadness
Like resignation to the end, always the end
So when we found that we could not make sense
Well you said that we would still be friends
But I'll admit that I was glad that it was over

But you didn't have to cut me off
Make it like it never happened and that we were nothing
I don't even need your love, but you treat me like a stranger
And that feels so rough

No, you didn't have to stoop so low
Have your friends collect your records
And then change your number
Guess that I don't need that though
Now you're just somebody that I used to know

Now you're just somebody that I used to know
Now you're just somebody that I used to know

Now and then I think of all the times you screwed me over
But had me believin it was always something that I'd done
But I don't wanna live that way
Reading into every word you say
You said that you could let it go
And I wouldn't catch you hung up on somebody that you used to know-oh-oh

But you didn't have cut me off
Make it like it never happened and that we were nothing (oh)
I don't even need your love, but you treat me like a strangerand that feels so rough
(oh)

No, you didn't have to stoop so low
Have your friends collect you records
And then change your number (oh)
Guess that I don't need that though
Now you're just somebody that I used to know
Somebody that I used to knowSomebody
 (now your just somebody that I used to know)
That I used to knowSomebody that I used to know
Somebody (somebody) (now your just somebody that I used to know)
That I used to know
I used to knowThat I used to knowI used to knowSomebody


Wednesday, April 18, 2012

:)


Ele já descobriu tudo....


"
Ele - Pai, já descobri tudo, eu já sei como é que vocês fazem os bebés: é quando vocês fazem sexo! E tu já fizeste sexo duas vezes com a mãe!!
"

Apita se queres ver...

Tenho uma nova companheira de viagem:


Foram os meninos da antiga equipa que me ofereceram, isso e mais três vernizes....magnéticos, pois claro! É ser quiduxo :) E foi assim que num almoço de trabalho eu acabei a pintar três unhas a um colega (e amigo!) ehehehe Aaahhh uma mulher no meio de homens, só estragos, pois claro....

O R. sempre disse que eu falava com as baleias....

Digam lá que não são fofinhos....


Para o que lhe havia de dar!

Pois é verdade, deu-me não só para plantar coisinhas em vasos, como também para pintar os meus próprios vasos. Também me chegou a dar para pintar umas telas pequeninas, mas resultou numas galinhas que o meu gaijo dizia que eram para os dois anos de idade e que tinha enganado no grau de aprendizagem. Eu expliquei-lhe que os artistas são assim, abstractos, mas ele não compreende....porque não é artista. :D

Portanto, o resultado é este:


Um cantinho colorido e simpático! :) Ervas aromáticas para cozinhados apetitosos! 

A última aquisição está aqui:



Um dia vão ser Tulipas :) Ou então não! Estas são especiais porque marcaram uma visita à cidade das bicicletas, das drogas "mais-ou-menos legalizadas" e das meninas despidas em montras. Mas o que a cidade tem de melhor é o quentinho no coração de quem fomos visitar - e de quem não fomos, o que significa que temos que voltar ;) Para não trazer só as saudades, trouxe também uns sacos de bolbos que plantei em terra firme e portuguesa, na esperança de agradar a estas coloridas holandesas.

Também cá há legumes! Esta semana os espinafres começaram a aparecer:


Sim, sim a minha mãe é capaz de ter razão quando diz que dá para uma panela de sopa (que é muito importante!) e mal! Mas  acredito que dê para duas :) A ideia é experimentar, o que se der este ano e render, é o que vai ser plantado para o ano, é tipo concurso. A verdade é que crescemos no meio de coisas simples como ter uma horta, como ter que interromper a brincadeira porque a mãe pediu para irmos buscar um ramo de salsa; mas que chatice, interromper a brincadeira para ir buscar ervas, ainda por cima a salsa está misturada com os coentros e com a hortelã-pimenta e é tudo verde e recortado! Naquela altura era uma chatice, mas agora tenho bem presente o cheiro nas mãos depois de colher o ramo das ervinhas, a sensação fresca nos dedos e o sabor do tempero. Lembro-me de andar no meio das canas do feijão-verde, a fazer de conta que percorria intermináveis cavernas e a sentir aquela energia própria de quem está escondido e ao mesmo tempo a fazer o que não deve - no caso, a pisar a horta. O meu pai sempre gostou de ter uma horta, mas como não tinha muito jeito, lá ia arranjando quem o ajudasse na demanda; a minha avó materna, contrariamente, sempre teve muito jeito para jardinar e sempre ouvi dizer que a ela "as flores lhe nasciam nas mãos". Eu estou a descobrir a que lado da família puxei no que toca a plantas e verduras, mas diria que até à data, estou a sair-me muito bem. E como diz o outro, para pior antes assim!