Wednesday, February 29, 2012

O pássaro, o ferro e o terraço

Há dias, depois da "corrida" matinal na elíptica, e como o tempo já começa a apetecer, fui fazer os alongamentos ao terraço aberto, como já fazia há alguns dias. Quando inspiro profundamente a primeira lufada de ar frio que me enche o peito e me ilumina a manhã, vejo um pássaro gordo, preto, no chão, de patas, literalmente, para o ar. Pensei como era triste encontrar a morte tão cedo no meu dia e pensei a seguir que não ia mais pensar sobre isso, que aquilo era uma tarefa para o esposo, que também tem que fazer qualquer coisinha! O que não reparei com tantos pensamentos, foi no ferro que estava por baixo do pássaro e que na noite anterior não estava no chão, mas de pé, encostado à parede. O marido reparou nisso, porque é muito observador e menos "pensador", ia lá pensar na morte do pássaro (!!), foi mais pragmático e ficou a pensar como é que o pássaro ali tinha ido parar. Eu pensei que fosse morte súbita, afinal, afecta cada vez mais seres vivos!! E como já não estranho os animais que nos entram no terraço, só fiquei mesmo (mais uma vez) a pensar que, agora que vedámos o acesso pelo muro, eles vinham pelo ar, só para poderem entrar no nosso terraço!!! Eu juro que nós não temos lá nada de apelativo.....só estava mesmo a roupa estendida! Afinal parece que o que deu no pássaro foi um "ferro súbito", mas ainda assim, que má sorte a dele de, ou levar com o ferro quando ele ia a cair ou lhe acertar em cheio durante o voo. A minha teoria da morte súbita era muito mais simples e não dava azos a tantas hipóteses remotas. Só espero que não tenha deixado filhos...paz às suas penas.

2 comments:

Littlewar said...

Resta salientar o seguinte:
- O ferro já foi retirado do local onde se encontrava de forma a não provocar qualquer acidente, pedimos desculpa à Natureza :p

Di said...

P.S. Nenhum animal sofreu qualquer dano durante a escrita deste post e comment. :)