Friday, February 24, 2012

Afinal parece que não....

Afinal parece que não consigo mesmo estar calada. E ao fim de um ano de estar noutra equipa, noutro projecto a trabalhar com outras pessoas.....não estava feliz. Há uns meses atrás surgiu a possibilidade de voltar à posição antiga, na altura não ponderei muito, achava que não fazia sentido voltar a um projecto que tinha os dias contados, no entanto, onde estava, a vontade de mudar não era muita, não era muita a vontade de fazer melhor, de fazer diferente para ver se era melhor, porque fazer diferente acarreta riscos e nem todos estão dispostos a corrê-los. A verdade é que se não experimentarmos não vamos saber se é melhor ou não. Eu não sou assim, não sou de me acomodar nem de não experimentar porque "não há tempo" ou "porque não" ou "porque o risco é muito alto". Eu não sou assim e não consegui guardar este meu feitio muito tempo cá dentro, começou a incomodar-me de tal forma que tive que parar para ponderar, para decidir. Não só com a cabeça, mas também com o coração, com a noção de que tenho que estar onde me deixarem ser eu própria, gritar quando tiver que ser e respirar fundo quando for preciso. Hoje foi anunciada a minha decisão. Espero que seja boa, porque se não for, também vou ser eu que vou cá estar para a receber. É tudo uma questão de perspectiva e quem nunca teve outra não pode compreender. Eu decidi arriscar, a longo prazo pode ser bom, a curto vai ser trabalhoso e pode até chegar a ser desesperante, mas a mim ninguém me disse que a vida ia ser fácil :) E enquanto puder dar a minha opinião, lutar para fazer melhor, para sermos melhores, eu não vou parar. Venham de lá esses indis que eu não tenho medo de ninguém!! :)

Dia 16 de Março lá estaremos.

3 comments:

Ana Aires said...

Eu disse normal!!!! Enganei-me!!! Tu tens uma família fantástica, onde tudo e todos são normais, onde se fala abertamente sem tabus, onde nunca é tarde para fazer nada (seja na ideia seja a horas do dia). É uma familia que marca, porque nos acolhe de uma forma tão natural que parece que sempre estiveste lá. Eu tenho recordações de infancia com a mesma intensidade que lembro de uns pudins que comia na tua casa no pinheiro, ou da fatídica noite que o teu pai passa de bicicleta à janela, ou as viagens até évora (em que se tiravam as mudanças nas descidas para não gastar tanta gasolina) ui, tenho tantas e tão boas. A tua família é tudo e tem espaço para todos. Normal, não é muito muito mais do que isso. Um beijinho a todos. E Obrigada!

Ana Aires said...

Adenda: Onde se lê "Normal, não é muito mais do que isso." deve-se ler "Normal não, é muito mais do que isso". O poder de uma vírgula!

p.s. eu tb não só normal :S é o que dá não ler antes de publicar. Faz um svn revert sff;

Di said...

Osão, que mega comentário, só alguém como tu que já vivenciou a experiência é que o pode relatar com tal veracidade! Mas ainda com todas as correcções, tenho a dizer-te que comentas-te no post errado!! ahahahaha Mas deixa lá porque isso é mesmo à Osão!!!! ;)