Wednesday, February 25, 2009

Confirma-se

A ressaca continua a dar-me uma fome extrema! :| O que vale é que (agora) é só de seis em seis meses.....se tanto! :/

Thursday, February 19, 2009

Squashamuuuuuuuuuuuuuuuuuuusssss

Ontem fui jogar Squash. Já é estranho o suficiente, eu sei! Parece que é um desporto caro, pelo preço que se paga à hora para a utilização do campo. Mas os meninos, que agora até estão interessados em perder algum peso (e não, não é com a Wii Fit que se faz desporto! Lamento :p ), descobriram uma associação que tem uns preços mais jeitosos. E foi giro sim senhores! Agora, vamos lá ver....ninguém me tinha dito que a p&t# da bola não saltava nadinha.....!! Então dão-nos para a mão uma bola de borracha que não salta nadinha...?! E isto foi na base da brincadeira/experiência, daí que no final os meninos tenham voltado todos suados e a arfar e as gaijas tenham saído tranquilas e apenas um pouco vermelhas das gargalhadas! :) É outro tipo de desporto. Eu cá gostei e por mim podemos repetir, importa é desanuviar, pensar noutras coisas, conhecer outras pessoas e rir a alto e bom som!
Squashamuuuuuuusssss se queres ver! :P

Parabéns aos meninos!!!


Este é o mês dos meus dois aquarianos! Como o trabalho tem sido algum (não vou dizer muito, só para não ser muito chorona :P) e como a entrega da primeira versão do projecto foi um dia depois do aniversário do Mega Xonxo, as comemorações não foram propriamente como queria. Primeiro faz o mais crescido :) e uma semana depois o xonxo, que acha que é muito mais crescido do que todos e que queria fazer "pimeilosss" que o J.! :) São só 22 anos de diferença...e o pior é que parece que tudo começou ontem!
Passei com o MQT um aniversário em família, acolhedor, com muitas prendinhas e com um copo com os amigos para comemorar, já no final da noite. Tranquilo, no início de uma semana de trabalho. Ao Xonxo liguei para dizer "Parabéns" e "Gosto muito de ti" e ele entusiasmadíssimo com a casa cheia e muitos presentes a contar o que tinha recebido e o que tinha feito! Uma alegria. Senti muito mais eu a distância do que ele. Que seja sempre assim, enquanto tiver que existir este espaço físico entre nós.
Agora tem 5 anos e vai poder fazer muitas (!!) mais coisas! Faz toda a diferença!
Depois de 20, consigo ver o quão mágico isso é! Super!!
Parabéns aos meus dois meninos que me enchem o coração! :)

Stress

Pessoal que stressa, muito ou pouco, oiçam a Prova Oral de dia 17 de Fevereiro! Para mim fez muito sentido, espero que para vocês também faça! Podem ouvir aqui.
Na próxima oportunidade, deixo aqui alguns comentários sobre certos e determinados assuntos debatidos durante o programa. :)

Friday, February 13, 2009

Lei de Lavoisier

Na Natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma.

Thursday, February 12, 2009

E para que queremos as coisas, se não for para partilhar? :)

Nova geração

Há dias, nos correios, entra um senhor da sua meia idade, com o seu bigode e sapato brilhante, o seu casaco de pele e, tirando a senha, aguarda a sua vez como os restantes. Ao contrário destes mesmos restantes, o senhor conhecia os funcionários dos correios e inicia uma conversa de circunstância com uma das funcionárias, mas sempre garantindo que todos os restantes estavam a ouvir o que o senhor tinha para contar. Eu estava entre os restantes e portanto, fiquei a saber que o senhor ia comprar um postal para a esposa, e mãe dos seus filhos, para lhe oferecer no próximo dia 14 de Fevereiro. Entre muita coisa que dizia para que todos ouvissem, diz:

"
- Esta juventude de hoje em dia é que cartas nem vê-las!! Há dias estive a mostar as cartas que escrevia à nha mulher, aos meus putos e eles muito admirados "Oh pai, escrevias isto tudo prá mãe??" Pois claro que escrevia, havia de ser quem? E era tudo por carta, não havia cá mais nada!! Agora não, é tudo por mensagens e emails e x's e k's que ninguém percebe o que eles escrevem.... não há romantismo, não há sentimento....antigamente sim, havia ali sentimento!
"

E o seu discurso era basicamente este. No meio de muitos
"os namorados da minha mulher eram todos uns ranhosos, até lhe cheguei a dizer "Não sei como é que foste capaz de namorar aqueles ranhosos" "
e
"Ela também me diz que só namorei com pindéricas, mas isso já não admito!",
a senhora que o atendia lá respondia gentilmente que sim, que eram ranhosos, ou que sim, que eram pindéricas e sorria cordealmente. O senhor tanto falou que chegou a minha vez de ser atendida. Levantei a minha encomenda, e o funcionário que me atendia, que assistia à conversa, como todos, sem outra opção, pergunta a sorrir:
- "Então não vai levar um postal para oferecer ao namorado?"
ao que respondo com o mesmo sorriso:
- "Não obrigada, eu sou daquele tempo das mensagens com x's e com k's e de emails e essas coisas tecnológicas.....saímos mais baratinhos!!!" E ri-me muito. Agradeci e desejei um resto de bom dia a todos. Ainda consegui ouvir um "é só para mandar a boca aos velhos", mas continuei o meu dia feliz por saber que vivo nesta geração de gente prática, económica e sem barreiras nem limites à comunicação ou à forma como o fazemos. Pensei que o senhor podia pensar o mesmo, que os filhos podiam agora comunicar sem obstáculos (pelo menos tantos!) e aprender sem esses mesmos limites. Mas as pessoas "do antigamente" são assim, resistem à mudança e permanecem "lá atrás", "no meu tempo", onde tudo era mais difícil, mas por isso podem sempre orgulhar-se de ter vivido lá e lá continuar. Felizmente não são todas, e todos os dias penso que não quero ser uma delas, quando olho para as Universidades, cheias de Bolonhas e Mestrados ou para as crianças de cinco e seis anos com muitas consolas. Também me vai afectar, também vai chegar "o meu tempo", mas aí espero ter a consciência que é mesmo assim, os anos passam, as coisas mudam e que existem sempre coisas boas: no passado, no presente e em tudo o que o futuro nos reserva! Gosto de pensar que tive coisas muito boas na minha infância, mas que o meu afilhado tem à disposição outras tantas que agora me podem "assustar", mas que vão fazer dele uma pessoa mais "aberta", mais ousada e melhor. O segredo é a moderação e a sensatez, a educação e o respeito pelo próximo. Porque podemos ser sempre diferentes, todos, uns dos outros, mas ter sempre essa noção: não somos iguais, nem temos que ser. Simples. :)

Friday, February 06, 2009

Frase digna de post

"Eu toda a vida o vi mijar assim!!"

É uma frase de alto calibre e nem todos estão à altura para a proferir. Gostei :D

Tuesday, February 03, 2009

Obama

No café:

" - (...) Estava um preto....mas mesmo preto, não é nada como o Obama, que esse é um grande homem! "

Portanto, existem os pretos e depois existe o Obama, que é um grande homem....consta. Há esta necessidade de diferenciação, de estabelecer uma barreira, um limite, uma linha que divide, que marca "a diferença". Não interessa se é azul, verde, amarelo, às pintas, aos quadrados, com ou sem cor, padrão....somos o mesmo, viemos do mesmo e todos caminhamos para o mesmo fim. Depois disso, continuaremos a ser isso mesmo: nós próprios, parte integrante de todos, de tudo. Só isso.

Somos na verdade todos iguais, ainda que todos diferentes. Mas será que sabemos disso?

Sunday, February 01, 2009

Cursinho

Já andava há muito tempo para o fazer, mas constava daquela lista de coisas que permanentemente adiamos: ou porque não há (muito) tempo, ou porque é (muito!) caro, ou por isto ou aquilo...! Já tinha procurado na net e, já tinha até me deslocado fisicamente, a algumas escolas de Línguas com a idéia de fazer um curso suplementar de Inglês, o facto é que é realmente muito caro. Não sei se por ser cada vez mais necessário ou se por os horários estarem cada vez mais flexiveis, mas os cursos são mesmo muito caros! Abusivamente caros! Principalmente porque pretendo apenas recordar alguns conceitos e corrigir algumas falhas, não estava muito preparada para gastar muito dinheiro :S Finalmente, lá me lembrei da Universidade de Aveiro (!!) que, por ser Universidade, oferece uns preços muito mais "em conta" (digamos muito menos de metade)! As inscrições são este mês e eu já fui fazer o "teste de nível". Foi incrivelmente nostálgico (e estranho ao mesmo tempo) entrar novamente numa Universidade (que não a minha!) para ir fazer um exame! Para fazer um exame onde o objectivo era realmente mostrar aquilo que eu não sabia - sem inventar, sem pensar muito, sem copiar ou cabular - apenas mostrar que não sabia. Pensando bem, acho que nunca o tinha feito :D Não estar nervosa, não conhecer ninguém, não contar o tempo para a saída....muito estranho. :) No final, uma entrevista oral, com um senhor Inglês muito simpático que me perguntou de onde era e porque queria tirar o curso. Desenrasquei-me bem e não estava à espera de "não estar tão mal"....das duas, uma: ou o curso é muito "leve" ou estava muito pessimista em relação ao meu nível de Inglês. :D Daqui por dois meses, conto-vos tudo! ;)
Agora é que os Indis vão ouvir das boas....não quer dizer que percebam! :)