Thursday, September 11, 2008

Profundo

Ontem, quando finalmente fui tratar da prova de esforço e ecocardiograma e tudo e tudo, dei com esta frase solta numa parece branca:

Sofremos muito com o pouco que nos falta....e gozamos pouco com o muito que temos.

Simples, mas extremamente verdadeiro. Fez-me pensar em quantas vezes já tenho parado para pensar isso mesmo, ainda que por outras palavras. Chego até a pensar que é vicioso, cíclico. Começamos a lamentarmo-nos disto, depois daquilo e, claro, há sempre alguém ao nosso lado que também se lamenta, que está desiludido ou desapontado com algo até chegar ao ponto de nos lamentarmos só por lamentar, porque já é hábito nos queixarmos que nos falta qualquer coisa, ou que qualquer coisa está mal. A última vez apercebi-me a tempo e decidi que não ia mais alimentar queixas ou lamúrias. Espero pensar sempre a tempo.

Se pensarmos bem, todos têm de que se queixar, uns mais que outros. Na verdade, tudo depende da importância e prioridade que damos às coisas. É uma questão de perspectiva. Uma dona de casa pode ter tanto stress como um grande empresário, se colocar na sua profissão todo o peso e foco da sua vida. Não tem que ser necessariamente a profissão ou a responsabilidade dela que traz o cansaço, a vida agitada ou as situações de alta pressão, tudo isto somos nós que construímos e que permitimos que exista, tudo isto está dependente das prioridades que temos na nossa vida e da importância que damos às coisas, às pessoas e às situações. A nossa vida depende, maioritariamente das escolhas que fazemos e isso, tem tanto de excitante como de assustador....mais uma vez, é tudo uma questão de perspectiva.

Enfim, pensamentos à parte, estou muito saudável, obrigadinha! :P

2 comments:

Ana Aires said...

Eu tenho tudo. O que falta o Cosmos ira' providenciar. Gosto de pensar assim! 'As x lamento-me mas na verdade e' da boca para fora 'e um desabafo, depois arrependo-me nao parei para pensar... afinal devia agradecer so' e simplesmente so' por estar viva.Enfim eu estou so' a aprender!

Di said...

Bom, haja alguém que tenha tudo! :P Tudo, tudo, também não digo que tenha, até porque acho que há vontades e ambições que nos movem e nos fazem querer mais. O que, moderadamente - mo-de-ra-da-men-te - é saudável, o difícil e pouco saudável é o equilíbrio desse querer. Enfim, como dizem os mais antigos, saudinha é que é preciso...e de facto, sem ela, nada feito!