Sunday, June 22, 2008

A verdade


A verdade é que as pessoas não gostam de ouvir a verdade. Pelo menos a verdade quando vem só, no seu estilo isolado e, normalmente, a frio. Preferem antes ouvi-la por eufemismos, ou pela metade, muitos até a evitam, porque como já disse aqui antes: "O dinheiro não traz felicidade, já a ignorância....".
A questão é que eu discordo, em pleno. A verdade deve ser dita, eu pelo menos, gosto de a ouvir. Certo é, que terá de haver o discernimento de avaliar a verdade de cada um e saber separar aquilo que nos pode ser útil, construtivo, daquilo que é dito para nos tirar ânimo e confiança. Isto acontece todos os dias: todos os dias nos cruzamos com pessoas que nos criticam e essa crítica, muitas vezes é a realidade (ou percepção dela) que cada uma dessas pessoas tem de nós. A meu ver, é importante que as oiçamos, que não nos fechemos em nós próprios, no que já somos e conseguimos ser. É saudável que pensemos na opinião das outras pessoas, no porquê de a terem manifestado e no conteúdo dessa mesma opinião, crítica, comentário ou conselho.
Corremos sempre o risco de nos acomodarmos ao feitio que temos, à personalidade que dizemos formada, aos hábitos que alimentamos todos os dias e este comodismo pode nos fazer parar, estagnar naquilo que somos. Normalmente estas pessoas mais "acomodadas àquilo que são", são as que mais sofrem deste mal que aqui falo: a surdez da verdade. É um facto que todos passamos por este mal, uns dias mais que outros e que por vezes até nos deixamos levar por ele. A grande diferença reside nas pessoas que estão atentos à sua existência e as que não estão.
Eu sofro de outro mal, oposto ao referido: desbocada, sou desbocada. Eu não consigo controlar, quando tenho que dizer, digo. O problema é que nem sempre o digo da "melhor forma". Mas quando pergunto qual seria a "melhor forma"....poucos me sabem dizer qual seria. Pois bem, começo a acreditar que há coisas que têm que ser ditas e pronto, simplesmente não há "melhor forma" de as dizer! E portanto, como sofro deste mal, sou constantemente perseguida por expressões como "Então foste dizer isso?", "IIhhhh disseste isto àquela pessoa?", "Iiixxx Oh Di!!", "Então mas mal o conhecias....", "Sim, é verdade, mas não se diz assim!".....mas então diz-se como? Então diz-se quando? Então porque não se diz? Mas existem coisas que não se podem dizer? Só pensar, é? Ou escrever? E sentir? Também existem coisas que não se podem sentir.....eu ainda não li nada sobre isso, e olhem que o meu Google raramente me engana! :|
Pois bem sei que nem sempre o que digo faz sentido :D Nem é isso que pretendo, apenas digo aquilo que penso ou sinto sobre determinada situação, porque acho que temos o dom do diálogo, a capacidade de comunicar enquanto pessoas civilizadas e adultas e acho esse dom algo de essencial para a evolução pessoal de cada um!!
Talvez seja mesmo só mais uma opinião, crítica, comentário...talvez seja eu que sou assim estranhamente desbocada (ou sagitariana, como alguém diria!), mas o facto é que acenar sempre com a cabeça e dizer que sim a tudo só porque "parece mal" ou "não se pode dizer".... também não vai fazer de nós pessoas melhores!!

Verdade:
S.f. 1. Qualidade pela qual as coisas se apresentam como realmente são. 2. Conformidade com a realidade[...]


A "verdade" é que realidade, cada um tem a sua!


Digam aí!!!

3 comments:

Ana Aires said...

A verdade e' uma constante. Esta' sempre la' digas ou nao digas. Vai sempre perseguir quem foge dela e cai sempre com mais forca a nossos pes do que se naturalmente fosse libertada. Deve-se dizer sempre a verdade... se for dificil... torna-nos mais forte :)

Di said...

Bonito! Em duas frases, o que queria dizer no testamento :D É exactamente isso!

Di said...

Sabes...estive a pensar melhor e se calhar neste post não queria referir só a verdade, mas a forma como a dizemos ou transmitimos....e eu nunca fui muito suave na forma como o faço. Parece que isso ainda não mudou.....vou trabalhar nisso! ;)