Thursday, April 24, 2008

Fim-de-semana/Férias/Cenas monstras :D

Aí vou eu!!! Até dia 5 de Março...espectaculaaaar! :D

Se no entretanto houver um tempinho, eu prometo que deixo aqui umas noticiazinhas, até porque tenho assim dois ou três posts na cabeça já faz algum tempo! Até lá, descanso total e absoluto! Prometo a mim mesma que não me vou irritar com nada. Ai.....!

Wednesday, April 23, 2008

A continuar

A Gente Vai Continuar

Tira a mão do queixo, não penses mais nisso
O que lá vai já deu o que tinha a dar
Quem ganhou, ganhou e usou-se disso
Quem perdeu há-de ter mais cartas para dar
E enquanto alguns fazem figura
Outros sucumbem à batota
Chega aonde tu quiseres
Mas goza bem a tua rota

Enquanto houver estrada para andar
A gente vai continuar
Enquanto houver estrada para andar
Enquanto houver ventos e mar
A gente não vai parar
Enquanto houver ventos e mar

Todos nós pagamos por tudo o que usamos
O sistema é antigo e não poupa ninguém, não
Somos todos escravos do que precisamos
Reduz as necessidades se queres passar bem
Que a dependência é uma besta
Que dá cabo do desejo
E a liberdade é uma maluca
Que sabe quanto vale um beijo

Enquanto houver estrada para andar
A gente vai continuar
Enquanto houver estrada para andar
Enquanto houver ventos e mar
A gente não vai parar
Enquanto houver ventos e mar

Enquanto houver estrada para andar
A gente vai continuar
Enquanto houver estrada para andar
Enquanto houver ventos e mar
A gente não vai parar
Enquanto houver ventos e mar

Jorge Palma



Foi buéda....podia ter sido melhor, mas ele é assim, faz parte do concerto, faz parte da pessoa e é por ser assim, que chegou onde chegou! Levou o rebento (que tem na voz o mesmo timbre...mas versão sóbria!), que respeita o pai, respeita o público e não gosta de cantar o que não está planeado. Talvez porque pensa que pagámos bilhete para ver o pai ou mesmo por ser demasiado diferente dele e goste das coisas organizadas ou mesmo controladas. Foi diferente. E como foi em Setúbal (!), até chegou a ser violento, quando dois senhores se pegaram no meio do concerto sem ninguém chegar a perceber bem porquê...! Foi estranho. Mas foi sem dúvida um grande concerto de Jójó! Venha de lá o próximo!! :)


Tuesday, April 22, 2008

Descobri

Isto. E vindo de quem vem só podia ser hilariante! :D

Sunday, April 20, 2008

Wanda th Fish Says:

You have the capacity to learn from mistakes. You'll learn a lot today.

Friday, April 18, 2008

A piada

Volta e meia aqui os meninos gostam de se meter com a menina. Normalmente escolhem as melhores alturas, quando estou a ouvir música, muito entretida com as minhas coisinhas e não ligo a mais ninguém! Ontem foi um desses dias. Mas pior, dado que tinha estado um dia inteiro a olhar para um código desenvolvido por Apu's, que ninguém percebe e que teima em não funcionar! Ora isto traz uma certa....ânsia (vá!) às pessoas! Pois bem, eles gostam de vir e carregar no botão do pause do iPod, passar a música para a frente, para trás, gostam de carregar tudo o que é botão do iPod só e apenas para me tirar do transe em que entro com a minha "tecnologia-maçã" :D Depois de muitos botões carregados, passou um rapaz que, por acaso, nem costuma ser dos que mais entra nessa brincadeira, e carrega no botão para passar para a próxima música. E eu, já um bocadinho (pouquinho) indignada digo:
- Epa, têm que estar sempre a mexer em tudo?? Pronto, já percebi que tenho que lhe pôr uma pass....!!
E o meu colega do lado diz:
- Não vês que a gente gosta de mexer?!
Resposta óbvia:
- Então mexe na pilinha, a ver se ela cresce!!!

O problema é que como eu continuava a ouvir música, não me apercebi do volume com que disse a piadinha.....e quando olhei à minha volta, tinha as ilhas vizinhas a rir muito, aquela gargalhada contida mas muito sentida, sabem?
Quem me conhece não estranha a resposta, nem a atitude....mas eles só vão em três meses, coitadinhos!!! :P

Feliz

O dinheiro não traz felicidade, já a ignorância.....

Wednesday, April 16, 2008

Novo Dicionário da Língua Portuguesa, por "Informáticos em Geral"

Estrangeirismos é uma coisa....inventar palavras que se assemelham no som a palavras portuguesas, mas que no seu significado em português, quando existem, não fazem sentido nenhum, é outra coisa completamente diferente e na qual os informáticos são recordistas!! Vejamos algumas palavras que me têm perseguido nos últimos meses:

- Libraria: utilizam-na quando querem dizer biblioteca; como em inglês a palavra utilizada é Library, adaptam-na forçosamente ao som português; costumo perguntar se é uma colecção de liBros...com este pessoal do norte, nunca se sabe!! :P

- Refrescamento: (esta é das minhas preferidas!) não que a palavra não exista, porque existe e significa que refresca, que mantém fresco; a questão é que a utilizam para definir a função da tecla F5, o chamado refresh em Inglês, claro está!

- Mandatório: esta não chega a existir, é daquelas criações genuínas; a origem da sua utilização vem da palavra mandatory que significa "imperativo ou obrigatório" e adaptação para português é feita directamente daquelas cabecinhas de génios, porque eles nem precisam de dicionários, para quê?
Pois bem, o que existe neste caso é a palavra mandatário:
o que tem mandato ou procuração para agir em nome de outrem;
procurador;

representante;

delegado.


- Imputar: aqui o caso é mais complicado, pois a palavra existe em português mas com um significado em tudo contrário ao que é utilizado. Portanto, imputar significa
atribuir a alguém a responsabilidade de;
classificar de crime ou erro.


Mas é utilizada como adaptação de génio da palavra "input" de onde, à bom português, se pode logo formar o verbo imputar: eu imputo, tu imputas, ele imputa....imputaMUS!! Portanto, andamos todos a inputar horas de trabalho no devido software.

Assim vale a pena...vale aliás, como digo sempre, a galinha toda!! Vamos lá falar e escrever bom português, enviar emails, muitos deles para muita gente (importante ou não) com grandes novas palavras portuguesas! E eu que pensava que só os adolescentes tinham essa capacidade inata de criar novas palavras, o chamado prego....afinal não, estes são em muito maior escala... a chamada cavilha!



Cavilha
grande prego de madeira ou metal para juntar ou segurar madeiras, chapas, etc. ;




Tuesday, April 15, 2008

E eu que pensava que não havia ninguém como o meu....!

Hoje, no wc, estava eu a lavar os dentes, como é costume depois do almoço e heis que entra uma colega:

Eu - Estas torneiras são péssimas para lavar os dentes, têm sempre muita pressão!!

Ela - É....e a água é muito fria aqui. Eu já nem lavo os dentes aqui por causa disso. É que sou um bocadinho paranóica com as paragens de digestão e então só de pensar em pôr essa água tão fria na boca....fico logo mal disposta!


Mas é só um bocadinho paranóica....não pensem!! É gente muito saudável, é....é pois.

Thursday, April 10, 2008

Já repararam

Que o spam chegou aos blogs em formato de comments??? Comigo não se safam....é isso e os vírus....pa XP AHAHAHAHHAHAHAHAHAAH X....quê?? Oi? Hein? Muito engraçado! :D

Wednesday, April 09, 2008

Podemos tudo

Já aconteceu há algum tempo, mas tenho me lembrado deste episódio muitas vezes ultimamente, por isso decidi partilhá-lo aqui. Num dos momentos de brincadeira com o meu afilhado, num dos muitos "Binca comigo....ninguém binca comigo!!!!!" - e com aquelas bochechas penduradas de triste, consegue logo convencer-me! - lá estávamos nós, a brincar aos piratas, com um barquinho e alguns playmobils piratinhas. No chão, eu era do tamanho dele, estava no mundo dele e brincávamos aos piratas de forma divertida e, ao mesmo tempo, compenetrada! Havia um tesouro, pequenas moedinhas, uma pá, um papagaio, canhões, espadas e todo um conjunto infindável de pequenas ferramentas "pópias" (como ele diz) de um verdadeiro piratinha! Depois de explicar o que era um canhão, porque é que os piratas tinham um papagaio e o que é que eles faziam ao tesouro, lá começamos numa sequência de apanhar "os maus" e procurar o tesouro. Eu escondia-o, ele procurava ou ele escondia e eu procurava. Divertido. :P Às tantas, ele quer enterrar o tesouro para ninguém o encontrar (!!)....difícil! Eu expliquei que não tinhamos uma pá, nem terra e que ali em casa, na alcatifa, não dava para enterrarmos o tesouro. Ele, com os olhos muito abertos, como se eu tivesse dito a maior barbaridade de sempre, diz-me muito convicto e admirado: "Mas madinha, podemos sempre fazer de conta!!!" E eu tive que sorrir e pensar naquela simplicidade de solução: fazer de conta. Podemos sempre fazer de conta. Tudo se resolve. Quais problemas?? Mas qual preocupação ou complicação? Podemos fazer de conta. E pronto, é só isso: fazer de conta. E tudo vai correr bem.
Com quatro anos é tudo tão mais bonito, possível, alcançável....que nem devia ser permitido perder tudo isso com a dureza do passar dos anos. Vamos então fazer de conta que temos quatro anos e que tudo faz sentido!!!

Desta vez é que É!

Vai ser no próximo dia 19 de Abril, a um sábado, no fórum Luísa Todi em Setúbal. E eu já tenho bilhetes para esse concertão, sentadinhos e cheios de fé que ele consiga cantar sem cair em cima do piano...ou mesmo para o lado! :D A companhia é a melhor: o gaijo, a cunhada e o mano que é Mega Fã e que me deu a conhecer este grande músico que tem tanto de génio, como de perdido, mas é sem dúvida isso que o faz ser a pessoa singular que é! BUÉDA!!

"Aaahhhh deixa-me abrir contigo, desabafar contigo....falar-te da minha solidão."

Ixxxxx vai ser MONSTRO!

Boa desculpa

Hoje vi o meu primeiro cabelo branco. Exibicionista o gaijo! Logo ali à frente, do lado direito, muito comprido e branco. Todo branco, não se importando com a cor de todos os outros, a destoar. Pois bem, venham de lá essas tintas :D

Tuesday, April 08, 2008

:(

Em três sítios distintos, de norte a sul do país, em três dias diferentes....e eu não vou ver nenhum. Ainda por cima vão a Évora....... :( :'( :''( :'''(

Monday, April 07, 2008

Notícia

A SIC hoje noticiou o seguinte:

DESTAQUE: A Reuters venceu o Prémio Pulitzer para ‘Breaking News’ com a foto de um cinegrafista japonês assassinado em Myanmar. (Adrees Latif / Reuters).

A foto em questão é esta que aqui podemos ver:

Trata-se de um jornalista que, ainda que baleado, não deixa de continuar a filmar (fotografar?), durante o protesto em Myanmar. O jornalista baleado acabou por morrer.

Ao ver esta notícia não consegui evitar o pensamento: "Não sei qual deles o mais doente: se o que baleado mortalmente continuar a filmar; se o que, ao ver um colega baleado no chão, opta por o fotografar ao invés de o socorrer." Sim, é verdade que o mais provável é que não lhe conseguisse salvar a vida...mas não é demasiado instintivo ver alguém a sofrer e tentar ajudar? Ao menos que perguntasse se estava bem..."Então, levou um tiro?" Aah se fosse o menino dos testes que me viu espojada no chão da outra vez, diria isso com certeza!
Estive lá. Mais perto, mais quente. Abracei todos os meus medos e senti-os mais pequeninos, menos significantes. Não tive tanto medo deles. É bom sentirmos os nossos receios de perto, dar-lhes a mão de vez em quando. Naquele dia não quis estar longe, não quis aventurar-me pelo mundo, não quis realizar sonhos extravagantes e futuristas. Queria apenas aquele abraço, mas mais apertado. Concretizei que tenho que cá estar, que tenho que ser forte quando o resto de mim fraqueja. Quando o sangue que nos corre nas veias chama por nós, não existem distâncias nem motivos, nada é demais. Nunca estou longe. Quando se ama é assim, tudo se consegue.

Friday, April 04, 2008

Os melhores sketches dos Monty Python


Estes já estão reservados que é por causa das tosses! :D

Mais visto

Eu não o vou pôr aqui, mas o que é facto é que este é o vídeo mais visto do youtube com 4 milhões de visualizações (pelo menos agora). E o pior é que a voz dele é mesmo assim, vejam no final da entrevista. Isto na net vê-se de tudo. :|

Thursday, April 03, 2008

Wednesday, April 02, 2008

Tu não sabes

Tu não sabes
Quanto tempo vais poder
Dizer: «Este sou eu»,
Gritar que o chão é teu,
Tu não sabes,
Que o céu chama por ti,
Quando à noite te sorri,
Quando as pétalas se abrem
Só por si,
Tu não sabes.

Tu não sabes
Quanto tempo irás pedir
Quando o sangue te fugir,
Quando o punho se fechar
Sobre ti,
Tu não sabes,
Que o sonho não morreu
Quando o beijo se perdeu,
Que a manhã não acabou
Só por nós,
Tu não sabes.

Que palavras vais usar
Quando o sono não vier,
Quando a noite te disser:
«Vem comigo».
Que loucura irás dizer
Quando a mão que te apertar
Te pedir para ficares
Só mais um dia,
Tu não sabes,
Tu não sabes,
Tu não sabes.

Tu não sabes
Quantos rios se vão deter,
Quantos olhos vão beber
Nas palavras que colaste
Junto ao peito,
Tu não sabes,
Que os teus dedos são já meus,
Que se vão fechar nos teus,
Quando os barcos se despedem
Na maré,
Tu não sabes.

Que palavras vais usar
Quando o sono não vier,
Quando a noite te disser:
«Vem comigo».
Que loucura irás dizer
Quando a mão que te apertar
Te pedir para ficares
Só mais um dia,
Tu não sabes,
Tu não sabes,
Tu não sabes,
Tu não sabes….

Pedro Abrunhosa

Percebi

Ontem percebi o motivo. Percebi porque preciso de manter a minha saúde mental, porque a minha vida tem acontecido tão devagarinho, porque às vezes me aborrece de não sentir o cansaço moral, o de pensar até à exaustão. Ontem percebi que não podemos andar todos à mesma velocidade, que temos que estar cá uns para os outros, que para uns poderem cansar o lado racional, outros têm que o manter intacto, quase parado para poder fazer uso dele quando quase mais ninguém conseguir. Assim podemos ser diferentes, distintos, opostos, metades separadas pelo corpo...e todos nos entendermos, ainda que não na mesma língua. Ontem parei para pensar na minha vida, no meu estado, na fase que estou a viver e em tudo o que queria ser. Assumi que vivo lá à frente, antes das coisas acontecerem na realidade, quando apenas existem nos meus sonhos, no que idealizo ou espero ou mesmo no que me parece óbvio que vá acontecer. Desta forma acabo por ir perdendo bocadinhos do que acontece agora e que mais tarde, quando lá chegar, me vão fazer falta.
Um dia uma mulher que conhece bem o que somos e pensamos, disse-me "Um dia de cada vez. Viver um dia de cada vez." e sim, foi uma frase banal, não fosse ela ma ter dito cinco minutos depois de me ter visto pela primeira vez. Ainda bem que podemos não ser iguais, que podemos andar por aí sem bocados, com defeitos ou buracos no feitio. Desta forma procuramos sempre mais e podemos encontrar melhor, podemos sempre encontrarmo-nos uns aos outros.
A verdade é que nada é por acaso. Ontem acreditei mais uma vez que sim, que temos que confiar, mesmo às escuras, onde o racional não vê.

Tuesday, April 01, 2008