Monday, March 31, 2008


"Se quiser aprender algo, leia. Se quiser perceber algo, escreva. Se quiser dominar algo, ensine-o."
Yogi Bhajan

Thursday, March 27, 2008

Presentinhu

Como lhes chamava a minha gaija. Vou ver The Gift hoje a Estarreja. Já tenho bilhetes! Buéda!


Estarreja é um terra aqui perto de Aveiro....e sim, continuo a gostar de The Gift....e depois? E depois? Qual é o problema?? Ahn? Hein? Oi?

Wednesday, March 26, 2008

Tecnologia

Andava eu a navegar pela net, a ver uns mails, a tratar do IRS - coisinhas que se fazem no final do dia -, quando a minha mãe entra no msn. Até aqui tudo bem, já que tem sido cada vez mais comum os Avós Xivas irem à Internet fazer coisinhas para se entreterem ou mesmo para "aprender" a lidar com o bicho que (ainda) é o computador. Desta vez foram eles que vieram meter conversa comigo, e dizem:

Eles - Estamos aqui com o mano....com o controlo remoto, agora não temos tempo!
Eu - Com o quê?
Eles - O mano está aqui no computador com o controlo remoto a ensinar-nos a digitalizar os documentos. Não temos tempo de falar agora.
Eu - Mas está aí em casa?

E como eles não tinham tempo, ficámos por aqui. Depois resolvi telefonar para tentar descobrir que misterioso "controlo remoto" seria aquele. Quando finalmente descobri o "Remote Desktop"...numa palavra: espectacular! O que eu me ri....!!!!
"Pai o Mundo evoluiu!" E ele também, que é um Super Pai!! :)

Monday, March 24, 2008

Sonhar

Ainda bem que sonhar não paga imposto, assim, um dia ainda vou escrever um livro! (E fazer tantas outras coisas que ainda são tão utópicas....)

Eu bem me parecia que existia...

espojar


do Lat. spodiare?

v. tr. e refl.,
fazer cair na terra;
rebolar-se no chão;
retouçar;
espolinhar-se;
ant.,
despojar.

Wednesday, March 19, 2008

Expressões

Tenho-me sentido cada vez mais alentejana, não só porque me estão constantemente a lembrar disso, mas também porque parece que ninguém entende o que digo!!! Afinal, não uso assim expressões tão diferentes do pessoal do norte.....pois não? :|
Enfim, eles não conhecem é expressões engraçadas, por isso mesmo aqui deixo este post, para que todos os meus amigos alentejanos aqui deixem as expressões mais "castiças" que conhecem! Bora lá dar vida ao estaminé alentejano!!!!
Eu deixo aqui umas quantas:

Pranta-te queda! -> Fica quieta!
Tem avondo. -> Tem tento.
Entrouxo (lê-se entrôxo) -> De entrouxar, andar entrouxado
Não tenho vagar! -> Não tenho tempo!
Amanhar -> Arranjar
Abalaste -> Foste embora.
Bodega -> Coisa sem jeito nenhum :)

E finalmente "gaiato" que não é alentejano, mas que em alentejano não significa menino de rua, mas sim uma criança como qualquer outra.

Aaaaahh orgulho de ser alentejana!!! :D

:(

Sexta-feira, dia 22 de Março, Jorge Palma vem a Aveiro. Estava à distância de 1,50 euros. Mas em vez disso vou para o Alentejo, onde agora parece que neva...isto realmente está tudo ao contrário!
Tenho dito.
:(
:'(
:'''(

Finalmente

O código JAVA.

Sunday, March 16, 2008

Sapos

Sapos são animais asquerosos. É a palavra que melhor os descrevem. São viscosos, frios, moles, gordos, lentos...só de pensar me arrepio. Corre a lenda (?) que urinam para os olhos das pessoas e que elas deixavam de ver....isto já não deve ser verdade. Lembro-me da primeira vez que vi um sapo, eu e os meus amigos. Estávamos os do costume, 3 ou 4 miúdos de seus 7 ou 8 anos de idade. Curiosos, brincávamos na terra (sim, porque fui uma felizarda na infância que tive, onde me podia sujar, brincar com animais, ficar na rua até tarde, em segurança e tudo era uma aventura!!!) cheios de energia e já não sei muito bem como nem porquê, mas de repente, lá estava ele, verde, na sua preguiça lenta e o seu ar muito snob. Não são nada como nos contos de fadas, muito menos a tender para o príncipe!!! Enfim, naquela altura foi uma aventura, descobrir como reagia, espetá-lo com um pau, de longe, não fosse ele vingar-se no nossos olhos! Estudamos-lhe os movimentos, os saltos, o inchar do papo, a pele viscosa....foi uma tarde bem passada de volta do sapo e depois seguimos com a nossa vida, com a confiança do conhecimento do mundo animal e mais uma aventura para contarmos, entusiasmados e orgulhosos, no outro dia de escola.
Lembrei-me de tudo isto este fim-de-semana, quando, numa conversa de histórias de universidade, um amigo (um anão....é mais isso! :P), falou nuns colegas de universidade assim a dar para o caroxinhu...como alguém que eu conheço!!! Mas estes colegas tinham a particularidade de serem tão poupados, tão poupados...que utilizavam sapos para chegarem ao chamado "estalo-gigante". E não, não os fumavam...lambiam-nos. :| Pois eu também fiquei assim a modos que chocada, mas depois ele disse que foram experimentar uma motossera no soalho do senhorio, sem o pobre imaginar, claro! E aí, eu compreendi que os sapos deviam mesmo compensar!!! :| Até comentou o cuidado que eles tinham com os sapos, ninguém se chegava lá ao pé...!! Lembrei-me logo das "plantinhas" (como ele carinhosamente as apelidou) do Bzão...aquilo era sim, era estima por aquelas ervas (literalmente!)! Ui se o Bzão tivesse descoberto os sapos....afinal, sempre têm uma esperança média de vida um bocadinho maior do que a das "plantinhas" (pelo menos aquelas....!).
Se calhar é por isso, que as princesas, nas histórias de encantar, beijavam sapos...e depois viam príncipes....pudera!!!!
:)
Eu gosto do meu blog. É meu. É o meu espaço, uma forma de pensar "alto", de me expressar como mais me sinto. Não tem que ser um espaço diferente, não tem que ser alternativo, não tem que ser intelectual, nem filosófico. Muito pelo contrário, tem que ser meu, tenho que estar aqui. Este blog surgiu com o propósito de me sentir mais perto daqueles que, com o passar do tempo, com o amadurecer da vida, se foram, por os mais diversos motivos, afastando. Continua a existir ainda com o mesmo intuito, mas já também como um vício, como uma parte de mim que alimento ao mundo. Esse mundo, que é cada vez maior e ao mesmo tempo e em igual escala, mais cruel, pode aceder a este sítio, com a mesma facilidade do que qualquer uma outra pessoa a que ele se dirige. É certo que é público, que todos lhe podem aceder e comentar, deixar uma opinião, uma ideia. Mas também é certo que o posso limitar a essas pessoas que justificam a sua existência...apenas me dava mais trabalho. Por enquanto não o vou fazer, não vou ceder a brincadeiras infantis e cansativas, tanto quanto a falta de propósito que as mesmas têm. Para já vou continuar a eliminar, a ignorar e deixo a dica de que quem diz o que lhe apetece, ouve o que não quer.
Vamos lá a crescer e a arranjar qualquer coisinha de interessante para se fazer na vidinha, hein??

Wednesday, March 12, 2008

Velha

Ainda no episódio do senhor que era hetero e cabeleireiro ao mesmo tempo, quando hoje fui fazer a depilação num centro de estética aqui perto, chamaram-me "velha" duas vezes assim no espaço de uma horinha. :| Tudo bem que estava a ser depilada por uma "moranga-com-açucar" de 17 aninhos, muito loira e acabada de tirar um curso profissional que "ao menos não nos deixa no desemprego", mas daí a "parecer que tem MUITO mais que 24 anos"...como MUITO mais?? Como mais??? Tipo o quê moranga???
Quando já estava quase esquecida deste episódio açucarado e depois de muita conversa dita "de conveniência", fui enfim pagar. Dirijo-me ao senhor hetero-cabeleireiro que me diz:

HC - Então o que vai pagar menina.....menina ou senhora?
Eu - É menina mesmo :)
HC - Aaahh é sempre menina, não é?
Eu - Não, por acaso é mesmo menina..... :)
HC - Pois....mas também já não deve ser por muito tempo, han?
Eu - :|

E pronto, tive que lhe dizer o típico "Vamos lá ver..." e pensar o não-menos-típico "Se te calas!".
Mas será que aparento assim tão MAIS que 24...?? Sim, sim pode ser um elogio, mas era se tivessem tido uma conversa intelectual comigo :D ehehehehehe

Pronto, eu confesso....a semana passada descobri o meu primeiro cabelo branco. Já disse. :D

Homens

Hoje conheci o primeiro cabeleireiro não-gay. Não que tenha alguma coisa contra ou que seja um qualquer estigma (sim, sim eu sei que parece), nada disso. Apenas porque este senhor não tem os ditos "tiques" mais "sensíveis" ou "airosos", apenas é um homem que gosta de cabelos e todos os que tenho conhecido com esta característica são, efectivamente, gays. É curioso se pensarmos que cada vez mais as mulheres começam a ter empregos/trabalhos/tarefas que até há bem pouco tempo eram "dos homens", também já se encontram homens a assumir tarefas que (ainda) são associadas a mulheres - há dias vi um senhor a fazer limpezas num prédio. Parece-me bem, justo no mínimo! Sempre me senti uma pessoa e não uma mulher (ou gaija) no meio de homens. Nunca me senti inferior nem mesmo mais sensível, ainda que às vezes o fosse (sensível, entenda-se!). Nunca olhei a essas diferenças, que não são mais que físicas e talvez por isso elas nunca tenham existido ao ponto de me prejudicarem. Homens, gays ou não, são bons amigos, bons companheiros de trabalho, de rambóia, boas pessoas e ajudaram-me muito na minha vida. Obrigada a todos. :D

Detesto

Mentes quadradas. Pequeninas.

Tuesday, March 04, 2008

Sonhei

Já há algum tempo que não sonhava nada digno de se "postar" (pelo menos que me lembrasse!). Heis que ontem voltei a dar largas à imaginação durante o sono e sonhei que era uma pirata! Não era uma pirata qualquer, era uma pirata que, em vez de ter um típico barco, com as velas negras, com caveiras assombrosas espalhadas pelo barco para impôr o devido respeito, tinha antes...um comboio! Pois claro, um comboio! O comboio deslizava sobre uns carris que existiam à beira-mar, que vocês nunca viram porque nunca se deram ao trabalho de cavar um bocadinho na areia, ali, onde as ondas se estendem (ou se esponjam?) antes de regressar ao mar. Como bons piratas, vínhamos a terra roubar as pessoas que estavam na praia, a desfrutar de uma tarde de sol (parece que os piratas modernos são assim mesmo!!). O procedimento passava por atirar, à passagem do comboio, tudo o que de valor tinham consigo para dentro do mesmo. E pronto, era prático e pelos vistos rápido!!
(Parece que os sonhos do meu afilhado passaram a ser os meus, ele, que tanto queria ser pirata...já o sendo!)
Não se esqueçam, cavem um bocadinho e vão ver que tudo isto tem fundamento (ou não!).

Sunday, March 02, 2008

Medos

Há medos que nos paralizam. A maioria nem chegam a existir no mundo real, alojam-se no nosso coração, nos nossos sonhos e planos, nas nossas memórias, mas nunca ninguém os chega a conhecer, a ver. A partilha pode ser a solução, fá-los mais pequeninos, mais fracos e insignificantes. Por vezes verbalizar menospreza, faz-nos pensar nas palavras que debitamos com incerteza, insegurança. No final da frase já percebemos que afinal não tinha importância, já nem existe mais! O diálogo é a solução, mas ao mesmo tempo a constatação do fim desse nosso medo mais íntimo...e se já sabemos que vai acabar, que não faz sentido, para quê verbalizar? Acaba por ser um atalho, uma forma rápida de o apagar...que nem sempre resulta.
Tenho medo de acordar amanhã e não ter mais 24 anos, de a vida ter passado por mim a correr e não me ter dado tempo para fazer tudo aquilo que planeio, que ambiciono, que quero para mim. Mas sempre fui boa a sofrer por antecedência, tanto que nem chego a saber se é real ou se é na minha cabeça...o melhor é ficar atenta para não me adormecer nos meus próprios medos.

Saturday, March 01, 2008

Baby

Descobri isto num album de Nouvelle Vague, onde aliás, se descobrem sempre coisinhas giras! Acho mesmo super!!!



Baby

You know, you must take a look at the new land
The swimming pool and the teeth of your friend
The dirt in my hand
You know, you must take a look at me

Baby, baby
I know that. s the way

You know, you must try the new ice-crem flavour

Do me a favour, look at me closer
Join us and go far
And hear the new sound of my bossa nova

Baby, baby
It. s been a long time

You know, it. s time now to learn portuguese
It. s time now to learn what I know

And what I don. t know
And what I don. t know
And what I don. t know

I know, with me everything is fine
It. s time now to make up your mind
We live in the biggest city of South America
Of South America

Of South America

Look here read what I wrote on my shirt
Baby, baby
I love you

You do!

Letra de Caetano Veloso, interpretado p/ Os Mutantes