Friday, November 30, 2007

E foi assim....

"E o que foi não volta a ser, mesmo que muito se queira...."

Já dizia o outro. Fica este vazio em nós. Ficamos nós.......só.

Thursday, November 29, 2007

Mais uma viagem, mais uma voltinha.....!


Acabei ontem O Alquimista, cada semana seu livro!
É realmente uma fábula encantada, simples, onde se fala da vida, dos seus tesouros, das suas descobertas e caminhadas. A "dar ares" ao Principezinho de Saint-Exupéry, O Alquimista é também um livro que precisa de predisposição para o ler, não creio que se seja lido em qualquer altura da nossa vida, exige, em certa medida, uma maturidade e abstracção intelectual para que se compreenda a sua mensagem; caso contrário, pode ser visto como um livro básico, simplista e sem muita acção.
Na vida, todos procuramos o nosso tesouro, todos procuramos seguir a nossa "Lenda Pessoal", ou simplesmente uma forma de realizar aquilo para o qual nascemos, ou que somos melhor a fazer, ou que nos preenche mais, seja algo extremamente relevante ou discreto. A questão é que todos procuramos uma realização plena, a todos os níveis (pessoal, profissional, intelectual, interior....) e todos o fazemos de diferentes formas e seguimos diferentes caminhos para o fazer; acreditar que existe uma conjugação universal para que tal seja sucedido fará ou não sentido, dependendo daquilo em que acreditamos. "Quando queremos muito uma coisa, todo o Universo se conjuga para que isso aconteça". Eu gosto de pensar que sim, que existem muitos "sinais" durante a nossa caminhada, que nem sempre os vemos (ou queremos ver), que nem sempre o caminho mais difícil é o pior e que a vida é muito generosa quando nos compreendemos a nós próprios e, principalmente, quando nos sabemos ouvir de dentro, quando "escutamos o nosso coração".

Como eu sempre disse, nada é por acaso, e este livro encaixa na perfeição nesta não-coincidência!

O próximo é finalmente o Onze Minutos, novamente de Paulo Coelho. A forma como escreve cativou-me de tal forma que agora levo-os todos à frente; e este promete, senão vejam:

«Era uma vez uma prostituta chamada Maria...» É assim, como um conto de fadas para adultos, que começa este romance de Paulo Coelho. É com uma abordagem franca e uma profunda sensibilidade que o autor conta esta história sobre os mistérios do amor e o poder da sexualidade. Maria, uma mulher oriunda de uma pequena cidade do Brasil, descobre rapidamente o poder que a sua beleza exerce sobre os homens. Desiludida com o amor romântico e desencantada com a paixão, é levada a trabalhar numa boite na Suíça, onde aprende a viver o sexo e a utilizá-lo para satisfazer os outros...

uuuhhhhhhh...! :P

Wednesday, November 28, 2007

Mahna Mahna





Gosto deleeeeeesssss! :D

Tuareg


Os tuaregues são um grupo étnico da região do Sahara que falam uma língua berber. Eles chamam-se a si próprios Kel Tamasheq ou Kel Tamajaq ("falantes de Tamasheq"), e também Imouhar, Imuhagh, ou Imashaghen ("os livres").

Estima-se que existam entre 100 000 e 3,5 milhões nos vários países que partilham aquele deserto.

A palavra árabe "Tuareg" significa "abandonados pelos deuses". Talvez por isso prefiram chamar a si mesmos por Imouhar(en), Imashagen (Os Livres) ou Kel Tamasheq - os que falam Tamasheq - e se identificamn como Tamust - a Nação.


Tuareg é um franchising de um bar ao estilo marroquino com um ambiente acolhedor e tranquilo. Já conhecia o de Aveiro e de Coimbra, e ainda estou para ver o de Lisboa, aconselho a conhecerem um deles, muito giro! Ontem fui ao de Évora, que abriu por estes dias, que sendo maior que os outros, não perde o ambiente morno nem a meia luz que transmite aquela sensação acolhedora... muito bom mesmo! Mas o melhor nem foi o bar, foi mesmo a companhia, foi a romaria como em tempos acontecia todos os dias (ou quase todos!), foi o passear nas ruas geladas de Évora, com os grande candeeiros pendurados, amarelos, com as luzinhas de natal nas árvores, com muito frio, mas de coração muito quente!! Foi um café quentinho, que era chá e não café :P Foi o partilharmos planos, ideias, perspectivas e sonhos... foi estarmos novamente os três. Tinha saudades, e cada vez vou ter mais. Adoro-vos pestinhas! :)

Friday, November 23, 2007

Acabei

Hoje acabei o Ensaio Sobre a Lucidez, que na sequência do da Cegueira, está igualmente bom! Não igualmente, ainda assim o sobre a Cegueira está melhor, talvez por ser a primeira epidemia, talvez pela surpresa, pela ideia única da cegueira branca e total.
Tirando o pormenor do "síndroma-da-ausência-de-pontuação" que o senhor do Nobel parece sofrer, a sua escrita é muito fluida, tranquila e de uma complexidade simples, disfarçada de ironias ou de descrições sarcásticas. A particularidade que mais gosto nos livros de Saramago - pelo menos dos que li - está na nomenclatura das personagens, que se basea na atribuição de características das próprias personagens, como "a rapariga dos óculos escuros" ou o "comissário". É uma abstracção que sabe bem, que não nos prende a imaginação e por isso, os intervenientes são diferentes em cada pessoa que os lê. Este pormenor é também positivo para aquele grupo restrito de pessoas que nunca se lembra do nome das coisas/pessoas....hummmm não me ocorre agora ninguém.... :P

Soube bem lê-lo. Gostei! Não tivesse o livrinho sido oferecido por uns amigos tão amigos! ;) Obrigada mais uma vez!

O próximo é O Alquimista, de Paulo Coelho, deste autor só li Verónica Decide Morrer e gostei bastante. Queria o Onze Minutos, mas não encontrei a tempo da viagem de hoje...não se corre o risco de andar de expresso pelo país sem um livro na mão, portanto, vamos lá para outras artes!


alquimista

s. 2 gén.,
o que se dedicava à alquimia;
fig.,
fingidor;
falsificador;
mágico.


alquimia

do Ár. al + kimia < kama, ciência oculta

s. f.,
ciência que, na Idade Média, tinha como objectivo encontrar a pedra filosofal, matéria que teria o poder de transformar todos os metais em ouro ou prata, a panaceia universal (remédio para curar todas as doenças) e o elixir de longa vida que garantiria a longevidade prolongada do Homem.

Lamechas

Mas muito bom!





Lágrima

Cheio de penas
Cheio de penas me deito
E com mais penas
Com mais penas me levanto
No meu peito
Já me ficou no meu peito
Este jeito
O jeito de querer tanto

Desespero
Tenho por meu desespero
Dentro de mim
Dentro de mim o castigo
Eu não te quero
Eu digo que não te quero
E de noite
De noite sonho contigo

Se considero
Que um dia hei-de morrer
No desespero
Que tenho de te não ver
Estendo esta capa
Estendo a minha capa no chão
Estando esta capa
E deixo-me adormecer...

Se eu soubesse
Se eu soubesse que morrendo
Tu me havias
Tu me havias de chorar
Por uma lágrima
Por uma lágrima tua
Que alegria
Me deixaria matar

Amália Rodrigues


Morria por uma serenata destas.....(suspiro)

Wednesday, November 21, 2007

IST

O IST tem muitas coisas más, mas tem uma muito boa: a tuna. Gosto particularmente da versão da música Lágrima e da Amélia dos Olhos Doces. Desta última deixo a letra para o meu mega Oso que adora :D

Amélia dos Olhos Doces

Amélia dos olhos doces
Quem é que te trouxe grávida de esperança
Um gosto de flôr na boca
Na pele e na roupa perfumes de França

Cabelos côr de viuva
Cabelos de chuva, sapatos de tiras e pões
Quantas vezes não queres e não amas
Os homens que dormem...
Os homens que dormem contigo na cama

Amélia dos olhos doces
Quem dera que fosses apenas mulher
Amélia dos olhos doces
Se ao menos tivesses direito a viver


Amélia gaivota, amante,
Poeta, rosa de café
Amélia gaiata, do bairro da lata
Do cais do sodré

Tens um nome de navio
Teu corpo e´ um rio
Onde a sede corre
Olhos doces, quem diria
Que o amor nascia onde a manhã morre


Amélia gaivota, amante,
Poeta, rosa de café
Amélia gaiata, do bairro da lata
Do cais do sodré

Carlos Mendes

Muito bom! Lembra-me o III (?) Festival Internacional de Tunas Académicas (FITUE) que se realizou em Évora, no Teatro Garcia de Resende e foi um espectáculo em emoções! Muito bom mesmo, pelo local, pela companhia, por tudo....à flor da pele! Perfeito. É desses que temos saudades, ne??...

Tuesday, November 20, 2007

Riders On the Storm

Quando chove torrencialmente, apetece-me sempre ouvir esta música. Gosto.



Descobri

A menina Carla Bruni (também gosto particularmente do site). Muito bom!! Descobri estas férias, no Algarve, através de uns amigos do meu power - os que nos deram asilo quando descobrimos que afinal dormíamos com baratas no apartamento que tinhamos alugado....outra looooonga história! - e ouvi novamente hoje, num programa de televisão demasiado estúpido para revelar aqui. :D
Prometo que os albuns estão neste momento a ser mastigados pela minha mula e que brevemente estarão disponíveis para os mais chegados! ;)

Thursday, November 15, 2007

Do novo album do David, gosto desta música, para a qual o Bzão me chamou a atenção. A ti ta deixo, porque às vezes também te sinto assim.

I see the world through you

You don’t understand me now,

I wonder if you ever will,
I wonder if you’ll ever try.
Don’t get sad about,
All the strange thing I wrote,
They faded as the ink dried…

So I say go, go, hold your fists high,
Grow, slow, stand in for the fight,
Though I hope you never have to.
So I say run, run, sparkling light,
Have your fun and then come home at night,
I’m sure you’ll tell me something new,
Yeah I can see the world through you.

Frozen lakes and night storms,
Most you’ll cross on your own,
You’ll face the biggest landslides.
I’ll catch you on the hardest falls,
I’ll carry you inside this walls,
We’ll sing through all the highest times.

So I say go, go, hold your fists high,
Grow, slow, stand in for the fight,
Though I hope you never have to.
So I say run, run, sparkling light,
Have your fun and then come home at night,
I’m sure you’ll tell me something new,
Yeah I can see the world through you.

So I say go, go, hold your fists high,
Grow, slow, stand in for the fight,
Though I hope you never have to.
So I say run, run, sparkling light,
Have your fun and then come home at night,
I’m sure you’ll tell me something new,
Things you did and thing you do,
Yeah I can see the world through you.

Hoje

Apetece-me barricar-me em casa e chorar até amanhã, até que não seja mais hoje...só porque sim. São aqueles dias de neura-de-gaija incompreensíveis. E sinto-me sozinha no mundo, a querer estar assim e a odiar-me por isso ao mesmo tempo. Só porque sim.
...

Wednesday, November 14, 2007

Eu já vos disse

Que o meu Ubuntu roda????? :D
R-O-D-A-S-E TODO!!!!

Eu sei que para muitos (a maioria!) já não é novidade, mas eu era uma pessoa sem tempo e finalmente arranjei algum para updates, upgrades, ficar sem X....! :D
Epa tão bueda que tou desejosa de chegar a casa para experimentar tutiiiiiiiiii!!!!

Eu já disse que se roda??

Muito bom!

Tuesday, November 13, 2007

Adoro

Undo's.

A gaija e o seu colo do útero

Tenho-me questionado sobre a nova vacina de prevenção do cancro do colo do útero e até que ponto compensará tomá-la. Não só pelos 500 euros que vale, mas pelo que ela representa. A vacina é de prevenção e deve ser tomada até aos 26 anos de idade, o que significa que mesmo depois de tomada, não impede que a doença nos afecte. Tenho lido sobre isso (não tanto como gostaría) e tenho visto alguns sites dedicados a este tema, este é um deles, embora não seja dos melhores.
Perguntei ao meu médico a sua opinião e ele, correcto como sempre, disse-me que a ele cabia-lhe o papel de informar, não de decidir pelo doente. Explicou-me então que a vacina deve ser tomada antes do inicío de uma vida sexual activa, pois é nessa fase que a probabilidade de contacto com o vírus será mínima e, portanto, a prevenção será mais eficaz. Por outro lado, existe sempre a probabilidade (ainda que menor) de, sendo a mulher sexualmente activa, não ter tido contacto com o vírus e, portanto a eficácia da vacina se manter. Ou seja, eu posso tomar a vacina e um dia mais tarde vir a contrair cancro do colo do útero.
Se tudo isto se passasse um bocadinho mais ao lado, a vacina seria já parte do plano nacional de saúde e, como tal, distribuída gratuitamente a todas as mulheres. Mas como diz aqui o mais novo: "Mas nós podemos fugir aos impostos, e eles não...!"...é a brincar, mas reflecte mesmo o típico pensamento tuga!

Botas

E tudo começou com umas botas novas. Gaija que é gaija, compra umas botas todas fashion. E pronto, lá fui comprar as minhas botas castanhas, todas giraças, que já andava a namorar à algum tempo. Aproveitei para estrear nos anos do mano, quando fomos jantar todos juntos. Ora o que eu não contava era com a pequena capa de plástico que elas traziam no seu pequeníssimo salto....e também não contava muito com aquele chão de azulejo - que a mim ninguém me convence que não tivesse um bocadinho molhado!! Enfim, espalhei-me ao comprido. Mas um espalho que sim senhores, assim vale a pena! Portanto, escapa-se a perna esquerda para a frente - em ar de espargata - e o joelho direito vai simultaneamente ao chão, suportanto todo o peso do corpo. Pode até parecer cómico, e para a sala de restaurante onde me encontrava, até foi! Mas perguntem lá à minha rótula se ela acha o mesmo....! Ela ficou roxa, verde, amarela....eu sei lá! Podre!
Enfim, já lá vão três semanas e o inchaço já está disfarçado, mas a dor permanece. Breve começo a fisioterapia, depois de muitas consultas em ortopedistas, fisiatras (que eu nem sabia que existiam!), raio-X....
Sairam-me caras as p*t#as das botas.

Monday, November 12, 2007

Nouvelle Vague

Ooohh pra eles...! E quem é que faz anos dia 7, quem é?? E sou gaija pa lá aparecer! ;)

Friday, November 09, 2007

Hoje foi um dia de viragem...assim o espero.

Decidir

Decidir nem sempre é fácil. Eu não sou indecisa, nem sempre segura, mas decidida. O meu problema é querer fazer tudo ao mesmo tempo. Não é de agora, sempre foi este o meu problema. A questão é quando esse meu querer envolve mais pessoas.
Hoje decidi ficar. Aqueles que não vou ver não estão magoados nem ofendidos comigo, mas podiam estar. A verdade é que eu fico magoada comigo por não ter cumprido, por ter planeado e não corresponder....eu fico confusa por pensar que pode ser mais vezes assim, que pode ser para sempre. É quase um abandonar, um voltar costas, um afastar...mas é tudo na minha cabeça. A verdade, é que estou sensível e por isso tudo me dói um pouco mais. Mas sei que vai passar, como aquele nervoso miudinho que acabou por passar e não prejudicar nadinha.
Obrigada àqueles que não se ofendem porque amam demais para isso.

Wednesday, November 07, 2007

Hoje

Comi castanhas sozinha.

In A Manner Of Speaking

Este fim-de-semana ouvi muito esta música. Tranquila, doce e exprime uma forma sentimental de comunicação: o silêncio.

In A Manner Of Speaking

In a manner of speaking I just want to say
That I could never forget the way
You told me everything
By saying nothing
In a manner of speaking I don’t understand
How love in silence becomes reprimand
But the may I feel about you is beyond words
Oh give me the words
Give me the words
That tell me nothing
Oh give me the words
Give me the words
That tell me everything

In a manner of speaking Semantiks won't do
In this life that we live we only make do
And the way that we feel might have to be sacrificed

So in a manner of speaking
I just want to say
That like you I should find a way
To tell you everything
By saying nothing
Oh give me the words
Give me the words
That tell me nothing
Oh give me the words
Give me the words
Give me the words
Give me the words
Give me the words

Gostei. :)

Adoro eles....outra vex!

Ooooohhh pra mim amarelaaaaa!!!!! Que monstro!!!! Este é muito mais fixe porque fazemos o upload da imagem e depois é gerado automaticamente um amarelo à nossa imagem e semelhança! Adorei!
Vamos todos ser amarelos que é muito mais buedaaaaaaaaaaaa!!!! :D